EM CONSTRUÇÃO

BLOG EM CONSTANTE ATUALIZAÇÃO - FIQUE LIGADO

Vale do Loire - dia 01

Sempre ouvimos falar dos castelos do Vale do Loire (Val de Loire, em francês), mas normalmente em referências a viagens de um dia ou um final de semana saindo de Paris. Resolvemos então programar uma viagem de ir em um dia e voltar no dia seguinte. Mas nos preparativos da viagem e mais ainda na realização da viagem, descobrimos que o Vale do Loire merecia muito mais. Em nossa opinião, o Vale do Loire merece uma viagem de 7 a 10 dias para ser aproveitado em sua maior expressão. Mas pode se passar mais tempo ainda... depende de cada um.

O Vale do rio Loire é o maior sítio da França inscrito pela UNESCO: 280 km de comprimento entre a cidade de Sully-sur-Loire e a cidade de Chalonnes-sur-Loire. Possui inúmeros castelos abertos a visitação, cidades históricas, monumentos, igrejas e opções de interação com a natureza: trilhas para caminhadas, roteiros para turismo de bicicleta, passeios de barco, campings e estacionamentos estruturados para traillers. Nos arrependemos de não termos programado uma viagem mais longa de carro. Trajeto que se equivale aos roteiros de carro como pela Provence, na França, pela Andaluzia, na Espanha ou pela Toscana, na Itália. Mas, voilá, ficará pra próxima.

Saímos de Paris de carro, pouco antes do meio-dia. Em 2h15 estávamos em Amboise, nosso destino mais afastado de Paris. Fomos pela autoroute, estradas pedagiada excelente como em toda França (pagamento único de 18,70 euros em pedágio). De trem rápido (TGV) a viagem leva cerca de 1h. De carro teríamos mais flexibilidade de horários e decisão sobre nosso trajeto. Como estávamos em 4 adultos e 1 bebê, resolvemos alugar um carro de porte médio, foi um Clio à diesel, um modelo que não existe no Brasil. Com pouco mais de 8.000 km rodados, estávamos prontos pra ganhar as estradas com nosso sempre fiel GPS. Pagamos cerca de 300 euros pelo aluguel do carro (2 diárias + cadeirinha de bebê + 2 dias de GPS). Carros pequenos são mais baratos, mas considerando a lotação do carro, achamos melhor um carro maior. De combustível gastamos cerca de 47 euros.


Na estrada, vista dos campos tingidos de amarelo e os cataventos gigantes geradores de força eólica.


Em Amboise, deixamos o carro no parking do Château - gratuito. Seguimos a pé pela pequena cidade, muito simpática. Entramos no Château de Amboise e pudemos visitar os jardins, a capela onde está o túmulo de Leonardo da Vinci e o castelo. Pegamos um folder em português (existe em várias línguas). Eles oferecem visitas guiadas em francês e audioguias em várias línguas, inclusive português. É possível visitar tudo com carrinho de bebê, embora dentro do castelo existam duas escadinhas estreitas. O melhor é estar munido de sling, nossa opção pra visita interna. Como não estava muito movimentado o local e os jardins são bem amplos, nosso filho pode correr bastante por lá.
Torre do Relógio no centrinho de Amboise. Souvenirs, boulangeries, cafés e restaurantes.


Vista da capela onde está a tumba de Da Vinci e das muralhas. Lá embaixo um pequneo carrossel no centrinho.


Vista do castelo a partir do jardim. Vista dos telhados da cidade e o rio Loire.


Interior do castelo.

Vista da cidade de Amboise.



Vista do castelo desde a margem do rio Loire.

Não conseguimos visitar o Château du Clos Lucé onde Lenoardo da Vinci viveu seus últimos anos e onde há um jardim, parque e exposições. Deixamos Amboise com a sensação de que seria muito legal ficar hospedado ali. A cidade é pequena, muito bonita, passou um ar de tranquilidade muito bacana, com algumas opções de hospedagem e alimentação.



Mas resolvemos seguir pro hotel que havíamos reservado em Blois. No caminho fomos surpreendidos por um balão (chamados de "montgolfières") que sobrevoava a região. Daí lembramos que um dos atrativos do Loire são os passeios de balonismo que sobrevoam os castelos da região. Em Blois descobrimos um guia com o contato de uma dezena de empresas que prestam este tipo de serviço. Ficamos loucos de vontade de ir, mas é preciso fazer reserva antes. Claro que a realização depende das condições meteorológicas do dia. O programa, pelo que entendemos, corresponde a você acompanhar a preparação (inflar do balão) e o vôo. Alguns aparecem que oferecem uma taça de champanhe à bordo... hummm. Os preços variam. Vimos valores a partir de 165 euros por cabeça. Alguns fazem preço diferenciados pra pequenos grupos.


Balão sobrevoando o vale - aí na foto o rio Loire, que margeamos de carro por quilômetros.

Outra surpresa que não esperávamos era de ver de repente na estrada o Château de Chaumont-sur-Loire. Ficamos estasiados mas decidimos que era melhor seguir para Blois. Ficamos de voltar no dia seguinte, mas isso corresponderia a um trecho de ida e volta de 40 km, o que nos fez desistir depois de voltar. Uma pena... Esse vai ficar pra próxima.


Vista do Châteua de Chaumont-sur-Loire e as casas da cidade na margem do rio Loire.



Chegamos a Blois já no final da tarde, o que nesta época de maio corresponde a 20h... 21h... Vendo o mundo ser tingido de tons dourados e laranjas, resolvemos dar um "oi" pro castelo antes de ir pro hotel. Boa pedida!



Frente do Château Royal de Blois - como já estava fechado, pudemos tirar uma foto sem turistas...



Jardins em frente ao castelo. Vista de uma parte da Maison de la Magie Houdin e da Catedral Saint-Louis.


Vista lateral do castelo.

Silhueta da Igreja Saint-Vicent, ao lado do castelo.

Ficamos no Tour Hotel , simples mas honesto. Ele fica há 4km do centro de Blois, mas tem local pra estacionar o carro. Quarto duplo a 65 euros, paga extra pelo berço (10 euros) e 7 euros o café da manhã. Fizemos o check-in e decidimos voltar ao centro pra jantar. Fomos pra Place Lois XII, que fica no pé do castelo, um lugarzinho simpático com cafés e restaurantes e atrativas mesas e poltronas no centro da place - perfeito para uma noite quente de primavera. Os preços das refeições, comidas e bebidas e hotéias equivalem a Paris. Apesar de distante do centro, íamos dormir apenas uma noite e não achamos ruim a localização distante. No centro de Blois existem várias opções de hotel, mas dificilmente tem estacionamento incluído.

6 comentários:

  1. Que maravilhoso esse roteiro...vamos para Paris em Abril na nossa lua de mel e também alugaremos um carro durante dois dias...já imprimi o seu roteiro para seguir....porém vou fazer o que vc sugeriu...passar uma noite em Amboise, e vou trocar o Château Royal de Blois pelo Chenonceau....quero passar em Orleans também...adorei seu post...td muito explicadinho....Parabéns!!!! Já favoritei e depois passo aqui para contar como foi...Abraços!

    Rafaela- Santa Catarina

    ResponderExcluir
  2. Uau, lua de mel no Vale do Loire é pra arrasar, hein Rafaela?!?! Lá tudo exala romantismo, é muito lindo, temos certeza que vcs vão curtir muito. E tomara que nossas dicas ajudem mesmo!! Beijos e tudo de bom nos preparativos para o grande dia! (do casamento e da viagem, he he...)

    ResponderExcluir
  3. Ai com certeza ajudaram muito, estamos super animados e ansiosos tanto para o casório qt para lua de mel, que sempre foi um grande sonho nosso....

    quando voltarmos te conto td...hehe
    bjos
    Rafa

    ResponderExcluir
  4. Olá! Adorei o post, parabéns! Vc saberia me dizer onde mais ou menos vc passou por esse campo de canola da foto??? Vamos passar três dias no Vale do Loire agora em maio, e estou doida pra passar por um campo desses durante nossa andanças, rs... :)
    Muito obrigada, e foi de grande utilidade pra mim todas as dicas!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Obrigada pelo seu contato! Infelizmente não sei dizer onde exatamente ficava este campo de canola, só que ficava entre Paris e Amboise, he he... mas não se preocupe, creio que vc terá a chance de cruzar com alguns desses pelo caminho!! =) Boa sorte e ótima viagem!!!

      Excluir
  5. Parabens gosto de foto, também vou passar por esses campos em setembro espero que estejam bem coloridos, farei paris, loire, e normandia. Por Curiosidade, do que vc mais gostou, paris ou loire?

    ResponderExcluir